SL Benfica

Estádio da Luz interditado por quatro jogos

Queixa do Sporting sobre apoio a claques não legalizadas na origem de um processo que pode fechar a Luz. Decisão final não deve acontecer esta época.

O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol castigou o Benfica com a interdição do Estádio da Luz por quatro jogos, mas esta decisão é passível de recurso para o TAD, pelo que a conclusão deste processo não deve acontecer esta época.

Na base deste castigo está uma queixa antiga apresentada pelo Sporting, que acusou o Benfica de dar apoio a claques não legalizadas em sete jogos do campeonato 2016/17.

Basta, portanto, o Benfica apresentar recurso no TAD e, ao mesmo tempo, entregar uma providência cautelar no Tribunal Central Administrativo ou no próprio TAD para pedir o efeito suspensivo do castigo.

Basicamente, e depois da queixa apresentada pelo Sporting, o Conselho de Disciplina enviou o processo para a Liga de Clubes, para ser feita a necessária instrução.

A Comissão de Instrutores teve então o processo em sua posse durante vinte meses, entre abril de 2017 e dezembro de 2018, tendo dado como provadas sete infrações: uma infração por cada jogo que foi alvo de queixa do Sporting.

Por cada infração, a Comissão de Instrutores propôs um castigo de entre um e três jogos de interdição, pelo que o Estádio da Luz podia ser interditado entre sete e 21 jogos. O Conselho Disciplina considerou, no entanto, que este caso era passível de cúmulo jurídico, pelo que se decidiu por uma interdição total de quatro jogos.

A Comissão de Instrutores da Liga, por fim, sugeriu a interdição do Estádio da Luz ao abrigo do artigo 118º, do Regulamento Disciplinar, o qual fala da «Inobservância qualificada de outros deveres».

«Os clubes que deixem de cumprir os deveres que lhes são impostos pelos regulamentos e demais legislação desportiva, de modo que dessa sua conduta resulte, ainda que não intencionalmente, a criação de uma situação de perigo para a segurança dos agentes desportivos ou dos espectadores, de risco para a tranquilidade e a segurança públicas, de lesão dos princípios da ética desportiva ou da verdade desportiva ou de grave prejuízo para a imagem e o bom nome das competições, são punidos com a sanção de interdição do seu recinto a fixar entre o mínimo de um e o máximo de três jogos», pode ler-se.

Fonte: MaisFutebol